294. “Meu nome é Vermelho”, Orhan Pamuk

Capa da 2ª edição

No fim da Europa

Uma história de “detetive” em pleno período dourado na Istambul capital do Império Otomano. Eis o mote de “Meu nome é Vermelho” do laureado escritor turco Orhan Pamuk. O sultão reinante manda seu ateliê de pintura executar um livro ilustrado ao estilo ocidental para impressionar o doge de Veneza; porém, o estilo figurativo ocidental é considerado anticorânico e logo o principal artista é morto. A narrativa vai da faceta policial uma história de amor proibido e reflexões sobre Ocidente e Oriente. Um misterioso homem, chamado Negro, volta a Istambul depois de 12 anos e tem apenas três dias para resolver o mistério da morte do artista.

Escrito num estilo de múltiplas vozes protagonistas, o livro lido com atenção ainda pode prover uma rica fonte sobre a vida e a história do Império Otomano daquele período. Talvez o único senão da excelente edição obra de Pamuk — para nós, claro — seja que sua tradução tenha sido feita a partir das edições em francês e em inglês, como costumava ocorrer com os clássicos russos.

“Meu nome é Vermelho” – Orhan Pamuk – Companhia das Letras – 534 págs. Entre R$ 40 e R$ 70

* * *

Publicado na Tribuna Impressa de Araraquara em 2/7/2012.

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: