244. Vate de multidões

ImagemNo Dia Nacional da Poesia, nosso homenageado é o ilustre poeta, “benemérito, filantropo, parecerista juramentado de fóruns cíveis e criminaes, vate d’inspiraçon elevada, grão apreciador dos romanceiros geraes, gentilhomem de galantarias notáveis, monoculista ferrenho, de meia-idade, lesto e guapo” Equinócio Pindahyba.

O Doutor Pindahyba teve u’a meteórica carreira telemática, apenas três poemas publicados em um blogue. O que é desconhecido do grande público é que sua obra original, manuscrita em pergaminhos, jaz em uma água-furtada de uma casa de campo em Indaiatuba. Infelizmente, o poeta, com seus dez mastins napolitanos, impede o acesso a ela. “Não sois dignos, bando de sevandijas!”

Aos nossos leitores, uma centelha da luz eterna do poeta das multidões secretas.

“Estes versos os fiz em tençom de porfia com Monoel Bandeira. Sem réplica ficarom.”

Vaquinha-de-Minas-Geraes

Quando eu tinha vinte e dous anos
ganhei uma vaca Nelore.
Quão pouco se me dava
pr’onde ia o diabo da vaca se enfiar todo dia!
Deixava ela lá,
s’entendendo com boizinhos e tourinhos.
Ela parece que gostava,
é certo que nunca me pedio mais nada
(e nem adiantava, que eu mais não daria!).

— A minha vaquinha-de-Minas-Geraes foi minha primeira molher: dei-lhe tanta pancada…!

* * *

Mais aqui: http://equinociopindahyba.blogspot.com/.

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: