181. A demência democrática

Dom João III.

Ouvia os seus conselheiros, e tinha sobre o juízo que devia fazer dos pareceres que ouvia, a opinião lucidíssima que Frei Luiz de Souza traduz em palavras concisas: «nos conselhos dos Principes a calidade e sustancia dos pareceres se deve respeitar e seguir: não o numero» (Annays, parte I, cap. 12).

Doutrina contrária, e absurda, por todos os motivos, havia de implantar-se entre nós, dois séculos e meio depois, introduzida pela demência democrática, para quem a legitimidade do Poder está única e exclusivamente no número, de sorte que o número n de pessoas a falar a verdade, mente, se se lhe opõe o número n +1 a mentir!

PIMENTA, Alfredo. Dom João Terceiro. Livraria Tavares Martins: Porto, 1936. p. 24

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: