174. Concreto

Concreto,
essa pedra que o homem,
brincando de geologia,
aprendeu a fazer.

O novo mármore
sem glória romana.
Muito mais em conta,
é padrão dos nossos tempos
tão concretos.

O concreto que dá forma
à estação rodoviária
é insensível à dor da partida.
O concreto que molda
o prédio do velório,
faz-se de mudo.
O concreto nivelador
de todas as calçadas
nem sente a borracheira
que faz os bêbados deixarem os dentes
na sua aspereza
que se quer pétrea.

O concreto
tão nosso,
tão geneticamente nosso…
Basta secar
e eis o olhar de pedra.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: