164. Fugere urbem

As pernas batem-se em fuga.
A urbe rói os últimos horizontes;
a ideia afunda-se em campos de cana.

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

2 Comentários

  1. sulains

     /  07/03/2011

    Os campos de cana …

    Responder
  2. Oi Passe lá no meu blog de textos, te espero, abraço.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: