157. Passado

É importante quando se quebra o presente. Digo assim porque o presente parece uma sauna, uma sala abafada de consultório médico e que, ali, logo atrás de uma porta de vidro fosco, esconde-se a selva do passado.

É possível até viver sem futuro, mas ignorar o passado não é viver o presente: é boiar nele simplesmente. E o passado tem de ser visto de pince-nez e não com o telescópio Hubble, como fazem alguns; o passado mede-se às libras; quilos são coisas para nós. Se assim não procedemos, caímos na mais subtil grosseria que reina nas academias: a anacronia.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: